terça-feira, 15 de setembro de 2015

CaNSei



Malditas instituições
tão cheias de si
supostas portadoras de toda a verdade
castradoras e hipócritas
erguidas num mundo de machos
a serviço deles
opressoras por tradição e falta de imaginação

Esse espaço foi parido para meter 
dentro
de cada uma de nós 
a interrogação
escandalosa e palhaça
que sabe rasgar peles apodrecidas
e fazer máscaras em pedacinhos 

IngÊnua?
Sou não.
Sei que são especialistas na arte de iludir, manipular
alienar
FAZER FUNCIONAR
não é assim que se apresentam?

Cansei de funcionar
Cansei de seguir a cartilha e ter a obrigação de procriar
Cansei de ser sexy,  bem penteada e bem comportada
Cansei de fazer de conta que não tem problema nenhum
rir das piadas machistas e 
repetir que os nossos meninos são melhores que os outros

Cansei de fazer de conta
cansei dos sorrisos frouxos
que a gente aprende a meter na cara
desde menina
para não assustar o opressor
cansei de ter hora marcada para tudo
e espaço para todos os papéis
esposa de cama e mesa,
trabalhadora mal paga
mãe e pai e palhaço
para a festinha de anos do afilhado

cansei de ir acabando
metida
no vestido de boneca
e nos saltos de executiva
cansei de deixar de existir
sem ao menos ter tentado ser eu

Cansei desse jeito pseudo moderno de resolver as coisas
uma lista e mais outra
e a ilusão de que a gente pode comprar qualquer coisa
a felicidade
o esquecimento
o amor
a terapia e até
a natureza

cansei de sentar de pernas fechadas
porque é assim que as meninas devem fazer
cansei de dizer 'sim senhor'
cansei de esperar pela minha vez
cansei de dizer amém
e de fazer de conta que os meus pés cabem no que insistem em chamar de normalidade

Cansei de me espremer nessa outra
só para caber nuns sapatos que nunca foram meus.

é chegada a hora de dizer além
sair por aí, dançando uma vida inteira
descalço
vomitando-me
se houver precisão ou ...
tesão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário