quarta-feira, 16 de setembro de 2015

quando escrevo

por Carol Stampone


Quando escrevo
nem sempre é o mesmo
tem dias em que  esvazio-me, quase acabo.
Tem vezes que escrever me fortalece, junta os pedaços. É quase como se eu  soubesse quem sou.
Às vezes, escrever me deixa de bem comigo mesmo.
Noutras, me lembra que há tantas urgências a serem denunciadas.
Escrever dá outro significado às horas e à realidade.
Tem dias em que  escrever me leva para casa.
Há outros em que é porque escrevo que não posso caber em lugar nenhum.

Quando escrevo fico mais perto de quem quero ser
as palavras vomitadas machucam o meu esofago, rasgam a garganta, me fazem doer
mas no meio do caminho eu me sinto mais eu...

um abraço e inté a próxima

Nenhum comentário:

Postar um comentário