sexta-feira, 29 de agosto de 2014

okay

Quantas vezes você diz ok?
O que ok realmente significa?
O filme dinamarquês 'Okay', faz com que o ok passeie por nós. Há momentos em que o ok fica entalado na garganta, outros em que faz o estômago doer. Tem horas que o ok é um orgarmo miudinho, e momentos em que ok são pés cansados.
Ok é uma história de família, numa sociedade apressada. A personagem principal tem que desacelerar para assistir a morte do pai. Morte que tem hora marcada para acontecer. Mas, que acaba sendo adiada. É nesse espaço entre a morte esperada e a morte propriamente dita que as coisas deixam de estar ok. Ou melhor, que a fragilidade do ok faz-se presente. 
Muito do que supostamente estava ok aparece mais de perto e mostra-se desgastado, quebrado, cansado, repetitivo e até sem sentido. Mas, as vezes é simplesmente a vida. Tem horas que a vida não sabe ser mais do que ok. E de quem é a culpa se ok simplesmente não é o suficiente?



Para melhorar, esse filme que tem um enredo forte e significativo, usa um tom onde o cômico e o trágico flertam e as vezes até se misturam. É um dos poucos filmes em que uma pessoa encontra chances para rir, chorar e pensar. 
Recomendo!

Um comentário:

  1. Caroline, o filme parece ótimo, vou ver se encontro para assistir, valeu a dica.
    Abraço!

    ResponderExcluir